Arquitetura Paleocristã

Durante o século I o cristianismo era amplamente perseguido e não aceito pelos romanos. Enquanto eles construíam obras gigantescas e magnificas, os cristãos construíam coisas mais simples e com um significado religioso. Podemos dividir essa arquitetura cristã primitiva em duas fases, antes e depois de Constantino se tornar cristão e liberar o culto, em 313 d.C.

A primeira fase é marcada pela arquitetura mais simples, usada para que os cristãos pudessem celebrar seus cultos sem serem perseguidos. Conhecida como fase catacumbária, possuía arquitetos desconhecidos, as catacumbas eram subterrâneas e dispunham de pinturas murais, sem proporções. Esse é o começo da ruptura com alguns padrões clássicos que antecederam o século I. Elas também serviam de cemitérios para os cristãos mortos.

A secunda fase é a basilical, fase promovida principalmente por Constantino, para aumentar sua popularidade e aceitação entre os cristãos. Vale lembrar que nessa época a população cristã crescia muito, por isso o interesse de Constantino, então ele ratificou Édito de Milão que foi responsável pela liberdade cristã. Segue um trecho do documento:

“Deliberamos conceder aos cristãos, e a quem quer que seja, a liberdade de praticar a religião de sua preferência a fim de que a Divindade que nos céus reside venha a ser favorável e propícia a nossos súditos. Parece-nos ser medida boa, razoável, não negar a nenhum de nossos súditos, seja ele cristão ou adepto de qualquer outro culto, o direito de seguir a religião que melhor lhe convenha. Assim sendo, a Divindade que cada um reverenciar a seu modo, livremente, poderá também estender a nós a sua benevolência e seus habituais favores.”

As basílicas já eram adotadas pelos gregos e pelos romanos como um lugar civil, com o Édito os cristãos começaram a utilizar esses edifícios para realizar suas celebrações. As principais características dessa arquitetura eram a espiritualidade, o simbolismo, a simplicidade e a inspiração em temas bíblicos.

Essas construções geralmente possuíam três naves e a abside elevada para o leste. A nave central era sempre mais alta que as duas laterais. Elas possuíam um longo corredor, formado por colunatas de pilares que separavam as naves da basílica. A sua cobertura era feita de madeira e elas possuíam pequenas janelas sem vidros, protegidas por tecidos ou mármore. O revestimento interno era feito de mosaicos que representavam passagens do antigo e novo testamento.

2da-era-crist-ao-perodo-bizantino-21-638

Antiga Basílica de São Pedro

StPetersOld-Fresco17c

Estrutura de uma basílica de cinco naves

Elas ainda possuíam um transepto, estrutura perpendicular a nave que lembra a cruz de Jesus, Geralmente eram construídas em formato de cruz latina. A abside era uma construção semi-circular, normalmente abobadada e utilizada como santuário. O nartéx, que era o pórtico que ficava na entrada da igreja. O átrio que era um pátio na entrada da igreja,  ao redor dele outras construções a circundavam, como nas basílicas romanas. Geralmente eram o batistério, a sala de Catecismo (cathecumeneum), as capelas de mártires e funerárias, escritórios e salas para acomodações clero.

Imagem5

Planta De uma Basílica

Planta Basilical Romana

Planta De uma Basílica

Separamos algumas fotos da Basílica di Sant’Apollinare en Classe para você poder observar as principais características da Arquitetura Paleocristã. A partir dessa época a arquitetura será mais voltada para a igreja e seus ideais.

Anúncios

8 comentários sobre “Arquitetura Paleocristã

    • Ana Flauzino disse:

      Primeiramente obrigado por comentar no nosso post, sempre estamos abertos para discutir sobre os assuntos apresentados aqui, e desculpe a demora. Realmente o papel do arquiteto começou a ser reconhecido no renascimento, no post, quando falamos “arquitetos desconhecidos” fazemos referência a essa falta de reconhecimento que as pessoas por trás das construções sofriam. Tanto que não havia a distinção entre as atividades de um arquiteto e de um mestre de obras. Esperamos que essa referência não atrapalhe no objetivo principal, que são as características da arquitetura paleocristã. Grande abraço.

      Curtir

    • Ana Flauzino disse:

      Bom dia, nos baseamos nas aulas e materiais dados pela nossa professora na faculdade. Por isso muitas vezes não nos aprofundamos tanto em alguns temas, para não falar algo que não sabemos.

      Curtir

  1. Jean Carlos disse:

    ótimo texto! Nossa! muito claro e informativo. Estou estudando para a prova amanhã e o conteúdo do site mostra de forma simples e objetiva a história da arquitetura.

    PS. No meu material aqui diz que o edito de milão foi em 313 d.C.

    Abraços!

    Curtir

    • Ana Flauzino disse:

      Muito obrigado, ficamos felizes de ajudar vocês.
      Acredito que digitamos errado, porque no nosso material de apoio também está 313 d.C, obrigado pelo toque e iremos arrumar haha.

      Abraços e volte sempre

      Curtir

  2. Sílvia disse:

    Olá!! Gostaria de agradecer muito pelo material de história da arquitetura. Vem me ajudado muito na faculdade, pois vocês colocam de forma simples e clara o significado de cada coisa!! Obrigada mesmo, continuem sempre assim

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s