Arquitetura no Brasil e Arquitetura Indígena

Desde pequenos aprendemos na escola que o Brasil foi descoberto pelos portugueses em 1500, pela expedição liderada por Pedro Álvares Cabral. E também sabemos que já existiam pessoas morando aqui, diversas tribos indígenas faziam dessa terra de Santa Cruz seu lar e moradia.

Descobrimento do Brasil

Em relação a arquitetura percebe-se que vários estilos arquitetônicos passaram pelo nosso país desde 1500, mas acabaram adquirindo características próprias comparados aos praticados no continente Europeu. Essa distinção de características ocorre devido a disponibilidade de materiais e mão de obra existentes em nosso país. Por exemplo, na Itália de Brunelleschi é mais fácil encontrar Pietra Serena, pedra muito utilizada pelo mesmo em seus projetos, do que no Brasil. E isso torna alguns estilos desenvolvidos no nosso país únicos.

Mas engana-se quem imagina que a arquitetura começou a ser desenvolvida aqui somente com a chegada dos portugueses. Os primeiros habitantes já desenvolviam suas casas, não como as grandes catedrais góticas, mas com o que sabiam e com o que possuíam na região.

Antes de entrarmos um pouco nos aspectos das construções indígenas é necessário saber um pouco mais sobre os hábitos dessas tribos.

No Brasil existiram e existem até hoje, só que em menor quantidade, diversas tribos com costumes próprios, como os Xavantes, os Zo’é, os Tupiniquins e diversos outros. Algumas tribos foram descobertas no século passado, e outras ainda não tiveram nenhum contato com estrangeiros.

Em relação a moradia existiam dois hábitos diferentes para a construção da aldeia. Algumas delas eram temporárias, ou seja, eles ficavam naquele espaço até certo tempo e depois procuravam um outro lugar melhor; e outras aldeias eram fixas. Nas temporárias era levado em conta conflitos entre tribos, estações secas e chuvosas, fertilidade do solo e a população da tribo. Quando aquele espaço já não era mais adequado eles geralmente colocavam fogo e iam atrás de um novo lar.

Algo interessante de se notar sobre os indígenas é que a vida em comunidade era sempre um fato importante, até mesmo nas construções. Eles eram acostumados a viver sempre juntos, compartilhando os espaços importantes da tribo.

As principais construções em aldeias eram a Maloca, uma espécie de casa comunal familiar onde a tribo mora e que ao seu centro se localiza o pátio para rituais,  e a Oca que é a casa individual, inspirada no ninho do beija flor. Um item importante na organização das aldeias são as praças ou pátios, localizado geralmente ao centro, seja dentro de uma maloca ou rodeado por ocas.

As malocas e ocas podem ser circulares, que é a forma mais comum, ou retangulares e geralmente são feitas de madeiras, fibras, folhas e cipós. O mais interessante da arquitetura indígena é  que mesmo sem recursos, pensadores, arquitetos, engenheiros, enfim, sem um estudo de como fazer determinada construção eles conseguiam, mesmo de forma simples comparada com as pirâmides egípcias, fazer ocas impressionantes em largura e altura.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Vocês sabe mais alguma coisa sobre essa arquitetura? Então compartilhe com a gente. Semana que vem falaremos um pouco mais sobre os estilos que passaram por aqui.

Anúncios

3 comentários sobre “Arquitetura no Brasil e Arquitetura Indígena

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s